Publicado em

Como Educar os Filhos e Colocar Limites, de Cristina Cançado

desenvolvimento-infantil-min

Há 2 anos e 3 meses venho aprendendo a ser mãe. É minha primeira experiência. Todas que passam ou já passaram pela maternidade sabem: não é fácil! É lindo, gratificante, é a melhor experiência que uma mulher pode viver; mas não é fácil!

Tenho buscado, assim como a maioria das mamães, ensinamentos e informações que auxiliem nessa tarefa e me ajudem a ser uma mãe mais presente, assertiva na educação da minha filha.

Nessas minhas buscas, encontrei a Cristina Cançado. Cristina é autora do livro digital Como Educar os Filhos e Colocar Limites. Nele, ela coloca sua experiência de mais de 20 anos como pedagoga e professora e sua experiência de mãe, e ensina um método próprio de educação, baseado em quatro pilares. Gostei tanto da proposta da Cristina que adquiri o livro e ganhei o acesso ao projeto “Mães que Educam“.

Sim… além do livro a Cristina entrega uma lista de ótimos materiais em áudio e vídeo que complementam a sua proposta. Tenho estudado esse material, e posso dizer da minha experiência: é realmente muito bom!

Sei que o método da Cristina vai ajudar tantas outras mães, assim como tem me ajudado, a tornarem-se mães melhores e educadoras eficazes. Estou muito agradecida sim. E por isso escrevo este post, onde meu interesse dar a você que ainda não conhece esse método, a oportunidade de conhecê-lo. Para conhecer o trabalho da Cristina, clique aqui.

Abaixo escrevo uma resenha do livro com minha opinião, e não preciso dizer que AMEI e me surpreendi com a qualidade do conteúdo. Espero que você se interesse em conhecer o trabalho da Cristina. Tenho certeza que vai ser muito relevante para você também.

Educar-por-Limites

Educar por Limites – Como construir uma relação saudável e harmoniosa com seu filho, sem traumas

Colocar limites nos filhos não é tarefa fácil. O ato de proibir o seu filho de fazer o que ele gosta pode causar em você certa frustração, e até mesmo deixá-la refletindo se está sendo correta ou se está agindo de forma agressiva ou dura demais.

Por outro lado, não colocar limites é, com certeza, o maior mal que você pode fazer ao seu filho. Não estando sujeita a limites a criança também não aprende a lidar com as dificuldade e decepções a que todos estamos sujeitos durante a nossa existência. E dessa forma, não alcança a maturidade necessária para se tornar um adulto realizado e feliz.

É sobre essa tarefa tão difícil, mas tão necessária que Cristina Cançado trata no seu livro Como Educar os Filhos e Colocar Limites (E-book. 75 páginas. Projeto Mães que Educam).

Cristina é pedagoga e professora. Mãe de três jovens, ela propõe em seu e-book uma completa transformação no modelo de educação que comumente exercemos. Propõe uma mudança de vida, uma nova maneira de se enxergar como mãe. E mostra que a relação mãe e filho pode ser muito harmoniosa se construída com base em quatro pilares, que são: a Proibição, a Permissão, a Sustentação e a Rotina.

O primeiro pilar, a Proibição:

Proibir, dizer não, não significa falta de amor. Pelo contrário. O limite traz segurança e ajuda a criança a construir autonomia. É preciso nunca se esquecer que em primeiro lugar está a segurança do filho. Muitas vezes é preciso proibir para garantir a segurança.

Quando você precisar dizer NÃO, é não mesmo. O não precisa ser firme, mesmo que tenha que ser dito em meio a uma plateia, com olhares voltados para você. O principal é não ceder, pois, é a sua reação que fará toda a diferença.

Nesse capítulo, Cristina fala e dá exemplos também de regras e combinados. Não há como colocar limites se não se define quais regras nortearão esses limites. Os combinados podem ser construídos junto com seu filho, e assim ele se sentirá parte da situação e se empenhará muito mais em observá-los, pois ajudou a construir aquilo que todos devem respeitar na casa.

O segundo pilar, a Permissão:

Permitir também é preciso. E é preciso ter equilíbrio entre o proibir e o permitir. Permita que seu filho faça escolhas entre opções que você já selecionou, pensando na sua segurança e bem estar. É importante que ele cresça sabendo escolher e arcando com as consequências de suas escolhas.

Aqui, a Cristina discorre sobre a construção de valores e de autonomia, e sobre como envolver o seu filho nas atividades da família, como por exemplo, as reuniões. Fala com propriedade sobre como ajudar o filho a se expressar e vencer limitações, através de vários exemplos de acontecimentos reais. E que é preciso “ler” os sinais que a criança mostra com seu corpo, porque o corpo fala.

O terceiro pilar, a Sustentação:

Sustentar a sua decisão pode ser muito penoso, tanto se for para sustentar um NÃO dado ou um SIM. Sim! Sustentar o sim também pode significar uma tarefa muito difícil! Mas, é preciso sustentá-lo se esse sim foi a sua escolha.

Nesse capítulo a Cristina mostra vários exemplos de situações onde mães tiveram que sustentar um não e fala sobre seus erros e acertos. E é possível até mesmo visualizar-se nas situações apresentadas, pois são situações comuns, recorrentes do dia a dia e ensinam muito. E quando ela fala de sustentar o SIM, é possível perceber o quão difícil pode ser se esse sim representar em algum momento algo que te desagrade, que te deixe insegura sob qualquer aspecto na educação do seu filho.

O quarto pilar, a Rotina:

O lar é o principal lugar onde a criança se sentirá amada e segura. É em casa que são colocados os primeiros limites e construídos os primeiros valores.

Aqui, a Cristina fala da Casa, do Ambiente, da rotina do Lar. É preciso ter em casa um ambiente saudável, harmonioso; e isso é resultado da combinação de vários fatores. É importante que a criança seja notada na casa, que lá dentro ela encontre o seu espaço. Fala também sobre alimentação e dá dicas valiosíssimas de como fazer o filho comer melhor e de como criar refeições maravilhosas em família.

Olhar nos olhos, surpreender, criar momentos únicos de interação com o filho é muito importante para construir uma relação harmoniosa e divertida. É preciso cuidar uns dos outros na família, pois é da família a responsabilidade da educação da criança. A escola é uma parceira e deve ser tratada como tal. É preciso não se descuidar da escola, mas caminhar junto dela, para que ela auxilie você na educação do seu filho.

Finalizando, a Cristina fala em linhas gerais sobre o desenvolvimento da criança; que não é um processo tranquilo nem linear. Mas, é possível construir uma relação respeitosa, saudável e cheia de harmonia com o filho, e que a Mãe tem um papel fundamental nesse processo.

E termina com uma frase que achei maravilhosamente encorajadora:

“O tempo passa muito rápido e leva com ele a infância dos nossos pequenos. Seja ousada e faça o que é preciso ser feito”.

O livro é uma obra maravilhosa, consistente e cheia de ensinamentos sobre a linda missão de Ser Mãe. Vale muito à pena a leitura.

Educar-por-Limites

Clique aqui para ter mais informações sobre a autora, sobre o livro e sobre o projeto Mães que Educam.


Veja também outros artigos sobre o Desenvolvimento Infantil:

➡ Histórias: Por que são tão importantes na infância e como elas auxiliam no desenvolvimento das crianças até os 4 anos de idade
➡ Brincadeira de Criança – Como as brincadeiras podem ajudar no desenvolvimento do seu filho?
➡ O bebê deve dormir sozinho no quartinho dele, logo nos primeiros meses?
➡ Casinha de Boneca: 5 lindos motivos para você se convencer de que “brincar é essencial”.

Deixe aqui o seu comentário, eu vou amar!